Vacina contra malária será testada em alguns países de alta endemicidade na África

 

Gana, Quênia e Malawi participarão do estudo piloto da vacina contra malária, sob coordenação da Organização Mundial de Saúde - OMS, Regional para a África. Esta é a primeira vacina contra a doença  e seu estudo será iniciada em 2018. Será administrada  na forma injetável e terá importância prinicipalmente na proteção de milhares de crianças, que morrem anualmente devido ao Plasmodium falciparum.

 

RTS,S will be assessed in the pilot programme as a complementary malaria control tool that could potentially be added to the core package of WHO-recommended measures for malaria prevention.

“The prospect of a malaria vaccine is great news. Information gathered in the pilot will help us make decisions on the wider use of this vaccine”, said Dr Matshidiso Moeti, WHO Regional Director for Africa. “Combined with existing malaria interventions, such a vaccine would have the potential to save tens of thousands of lives in Africa,” she added.

Africa bears the greatest burden of malaria worldwide. Global efforts in the last 15 years have led to a 62 percent reduction in malaria deaths between 2000 and 2015, yet approximately 429,000 people died of the disease in 2015, the majority of them young children in Africa.

The WHO pilot programme will assess whether the vaccine’s protective effect in children aged 5 – 17 months old during Phase III testing can be replicated in real-life. Specifically, the pilot programme will assess the feasibility of delivering the required four doses of RTS,S, the vaccine’s potential role in reducing childhood deaths, and its safety in the context of routine use.

 

 

Surtos de Sarampo e caxumba em vários locais do planeta (atualizado em 10/04/2017) alertam para vacinação antes da viagem.

 

Sarampo, caxumba, coqueluche são alguns exemplos de doenças antes controladas e que atualmnete têm se manifestado na forma de surtos epidêmicos. A causa principal é a não vacinação, opção feita por grupos de pessoas que    

 

Surtos de Sarampo:

 

 Canadá (Nova escócia: 13 casos)
 

Australia (New South Wales, Sydney: 4 casos confirmados e  6 casos novos)

 Africa (Nigéria e Guiné: 14 mortes por sarampo)

 

 Europa (Portugal: 2 casos confirmados, desde Janeiro de 2017, 600 casos na Europa:  França, Alemanha, Itália, Polônia, Suíça e Ucrânia) Romênia: 3400 casos de sarampo.
 

Estados Unidos (California, Orange County: 9 casos de jovens estudantes não vacinados). Em 2016, houve 35 casos de sarampo confirmados e em 2015 um grande surto ocorreu na Flórida, especificamente entre crianças e jovens visitando Disney Word e não vacinados previamente.

 

Surtos de Caxumba 

 

Canadá ( entre jovens da Universidade de Toronto)
Estados Unidos (Estados de Arkansas e Oklahoma, Ohio, Illinois, Califórnia, Washington)

 

Caxumba pode se complicar em encefalite, pancreatite orquite com esterilidade masculina)

 

Se for à Europa, Estados Unidos e Canadá, vacine-se contra sarampo, caxumba e rubéola, pelo menos 15 dias antes do embarque.

 

OBSERVAÇÃO IMPORTANTE PARA BRASILEIROS QUE ESTÃO SE IMUNIZANDO CONTRA FEBRE AMARELA:  E PRETENDEM VIAJAR PARA  A EUROPA, ESTADOS  UNIDOS E CANADÁ:

 

A vacina contra sarampo, caxumba e rubéola deve ser aplicada no mesmo dia ou com intervalo mínimo de 28 dias com a vacina de febre amarela.

 

Fonte:

 

http://www.euro.who.int/en/media-centre/sections/press-releases/2017/measles-outbreaks-across-europe-threaten-progress-towards-elimination

 

TripSense-Europe-640x240.jpg