Infecção em humanos pelo vírus influenza aviário H7N9 na China

 

Viajantes que pretendem se dirigir à China devem se precaver contra uma modalidade de gripe aviária causada pelo vírus influenza H7N9,  que acomete algumas regiõs deste país desde 2013, mas teve um aumento na incidência neste início de 2017, com complicações como a síndrome respiratória aguda.

 

Em 31 de Março, o governo chinez notificou à organização Munidial de Saúde cerca de 17 casos, em pessoas  entre as faixas etárias de 35 a 81 anos de idade, reporados nas seguintes regiões da China: Fujian (2), Guangxi (3), Guizhou (2), Hunan (6), Jiangsu (3) e Zhejiang (1). Destas 17 pessoas, 16 tiveram contato com aves vivas ou moratas em mercados locais. A maioria evoluiu com pneumonia.

 Segundo a OMS, o vírus H7N9 encontra-se na quinta onda epidêmica, iniciadas desde 2016, esde que casos em humanos passaram a se notificados.

 

A infecção em humanos permanece pouco comum, mas predomina em ambientes onde pessoas têm contato respiratório com aves, como moradores de zonas rurais e trabalhadores de mercados, açougues, cozinhas de restaurantes.

 

Não há vacina contra o influenza H7N9, portanto, viajantes que pretendem ir à China devem evitar frequantar merdados de alimentos, açougues, ter contato com ponmbo s ou se dirigir à fazendas de criação de aves.

 

Outras recomendações para quem vai à China:

 

  • levar máscaras e utilizar se estiver em locais onde houver grande concentração de aves e se tiverem de permanecer junto a outras pessoas gripadas
  • usar álcool gel e muita água e sabão para higienizar as mãos
  •  a transmissão da gripe aviária se dá principalmente pela respiração, mas se puderr evitar ingerir carne de aves na China pode ser mais seguro
  • deve se vacinar contra agripe anual ( pelovírus A H1n1, A H3N2 e B) antes da viagem, pois pode desenvolver   gripe por estes sorotipos.

 

Para os viajantes que retornam da China e apresentam sintomas de falta de ar, tosse  febre alta e outros sintomas gipais, ou contactantes de pessoas que vieram da China neste mesmo período e que apresentarem os mesmos sintomas, devem procurar serviço hospitalar imediatament para investigação diagnóstica, notificaçãoo epidemiológica e tratamento.

 

Como as demais formas de gripe, a gripe aviária também tem pode se complicar em síndrome respiratória aguda.

 

Para mais orientações: agende uma consulta de Medicina de Viagem, pelo menos 30 dias antes do embarque.

 

Fontes:

 

1. http://www.who.int/influenza/human_animal_interface/influenza_h7n9/en/
 

2. Benjamin J Cowling, PhD†Ianmei Jin, MD†, Eric HY Lau, PhD, Qiaohong Liao, MD, Peng Wu, PhDHui Jiang, MD. Comparative epidemiology of human infections with avian influenza A H7N9 and H5N1     viruses in China: a population-based study of laboratory-confirmed cases

Benjamin J Cowling, PhD†

The Lancet, Volume 382, No. 9887, p129–137, 13 July 2013

 

3. Yunwen Hu, Shuihua Lu, Zhigang Song, Wei Wang, Pei Hao, Jianhua Li, Xiaonan Zhang, Hui-Ling Yen, Bisheng Shi, Tao Li, Wencai Guan, Lei Xu, Yi Liu, Sen Wang, Xiaoling Zhang, Di Tian, Zhaoqin Zhu, Jing He, Kai Huang, Huijie Chen, Lulu Zheng, Xuan Li, Jie Ping, Bin Kang, Xiuhong Xi, Lijun Zha,Yixue Li, Zhiyong Zhang, Malik Peiris, Zhenghong Yuan. Association between adverse clinical outcome in human disease caused by novel influenza A H7N9 virus and sustained viral shedding and emergence of antiviral resistance. The Lancet,  May 28, 2013 http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(13)61125-3

 

Dra. Maria do Carmo Duarte Oliveira
Médica e Viajantes

Clínica imunity