amamenta 2 site.jpg

Protocolo da Dor 

A Clínica de Vacinas imunity, cujo objetivo social é a Vacinação Segura e Eficaz, adota o Protocolo da Dor Aguda Pediátrica para a uma maior tranquilidade, conforto e menos dor durante a aplicação de vacinas e durante a coleta do exame Trec Krec.
Para isso, nossa equipe se atualiza constantemente através de revisões bibliográficas baseadas em evidências científicas, sempre preocupada em proporcionar, não somente a proteção, mas também  uma maior adesão a vacinações, por parte dos pais de nossas crianças. 
Muitos pais têm receio da dor que a criança possa sentir durante vacinas ou coletas de sangue e passam por situações de stresse e apreensão quando chega o momento de vacinar seus filhos.
Cabe a nós, profissionais especializados em imunizações, nos aprimorarmos cada vez mais para colaborar com uma maior cobertura vacinal, evitando o atraso am vacinações que são fundamentais, para a prevemção de doenças infectocontagiosas graves e melhor qualidade de vida para nossas crianças, adultos e idosos.



Técnicas para alívio da dor dutrante a vacinação, que são empregadas na Clínica de vacinas imunity

Recém-nascidos e lactentes

1- Amamentação


Quando possível, essa técnica é a primeira escolha como medida não farmacológica para alívio de dor em bebês, durante procedimentos como aplicação de vacinas e coleta de sangue, desde que a mãe se sinta confortável e segura para fazê-lo. A equipe da Clínica de Vacinas imunity, previamente orienta e tranquiliza as mães para conscientizá-las do quanto essa técnica é importante e segura, e que não traz correlação entre dor e o processo de aleitamento, mas sim de conforto e tranquilidade para o bebê.

É importante que  se inicie pelo menos 5 minutos antes da vacina, não devendo ser interrompida durante a aplicação.

2- Contato pele do bebê com a pele da mãe: outra importante estratégia para alívio da ndor da vacina

Quando o bebê está no colo da mamãe, ele se sente mais seguro, aquecido, consegue sentir o seu odor e também de seu leite,  e isso diminui o estímulo da dor. Nossa equipe orienta os pais a sentir e verbalizar pensamentos positivos com relação à vacina, como benefício para o bebê e para seu futuro. 
Estudos científicos comprovam que essa verbalização pode resultar em maior tranquilidade ao bebê, tranquilizando-o e com isso ele tem menos dor.

Todos os bebês podem participar desta técnica, com exceção daqueles que têm as seguintes condições clínicas: 
- bebês com gastrosquise (alimentação com sonda diretamente no estômago)
- bebês com  mielomeningocele ou outras condições cirúrgicas que impedem esse procedimento.

 

3-Sucção não nutritiva (SNN)

A sucção não nutritiva, além de ajudar na estimulação oral do bebê, é muito útil para o alívio da dor. 
Essa técnica pode ser feita com a chupeta ou com dedo enluvado (utilizamos luvas sem latex), previamente higienizados e antecipadamente orientamos os pais. 

Cinco minutos antes da aplicação, pedimos aos pais para oferecer a chupeta ou o dedo enluvad e o alívio da dor ocorre mais comumente após o bebê efetuar no mínimo 30 sucções por minuto.
É importante salientar que adotamos essa técnica somente para o alívio de dor em vacinas, e não indiscriminadamente. O procedimento é rápido e devidamente documentado  na ficha de registro de cada pacientes

4- Protocolo de anestesia tópica

 

É mais uma opção para  a diminuição da dor durante a vacinação e punção venosa.
O anestésico tópico é administrado com prescrição médica e autorização dos pais. 
Trata-se de procdedimento seguro, e nossa equipe de enfermagem está devidamente treinada, mas exige um tempo para sua ação, devendo-se aguardar cerca de 20 minutos antes da aplicação da vacina.
 


Protocolo da Dor imunity:  para Pré-escolares e crianças maiores


1- Realidade Virtual

Estudos comprovam que, ao distrair crianças durante procedimentos que possam causar dor, incluindo vacinas, resulta em alívio da mesma. A Clínica de Vacinas imunity utiliza os óculos de realidade virtual, com resultado positivo, principalmente em pré-escolares e crianças maiores há 2 anos, porém, com a pandemia de Covid-19 suspendemos a utilização desses equipamentos que podem, potencialmente aumentar o contágio do coronavírus, para maior segurança de nossos pacientes.

2- Uso de aparelho vibrador (Buzzy) para o relaxamneto da musculatura no local da injeção

Pode ser uma opção para o relaxamento da musculartura em vacinas pela intramusculares. Essa técnica sempre foi utilizada pela Clínica de Vacinas imunity  mas também teve de ser suspensa desde o início da pandemia, por o risco de transmissão de covid-19 pela utilização do mesmo aparelho em vários pacientes. A desinfecção destes aparelhos não é suficiente para o Coronavírus.

3- Anestesicos locais

Mantemos a utilização de gel anéstésico local, 20 minutos antes da aplicação de vacina, por ser seguro durante a pandemia (descrito acima).

4- Uso de Pik luc (aparelho para alívio da dor de injeções)

Podemos utilizar esse equipamento descartável, mas orientamos os pais de que um pik luc seja específico para cada injeção (se houver 2 vacinas, deve-se utilizar 02 pik lucs) que devem ser abertos no momento da aplicação e imediatamente descartados.
A reutilização de Pik luc traz risco de contaminação. 
A Clínica de Vacinas imunity, assim como todas as clínicas de vacinas,  não estão autorizadas, pela Receita Federal a vender produtos (incluindo Pik Lucs) pois são empresas prestadoras de serviço de vacinação.

Dra. Maria do Carmo Duarte Oliveira
Pediatra Responsável Técnica
Clínica de Vacinas imunity
 

realidade 1.jpg
Realidade 2.jpg

Referências Bibliográficas

1. Cignacco E, Hamers JPH, Stoffel L, van Lingen RA, Gessler P, McDougall J, et al. The efficacy of non-pharmacological interventions in the management of procedural pain in preterm and term neonates. A systematic literature review. Eur J Pain. 2007;11(2):139–52.
 

2. Santos ACA. A vivência materna no contato pele a pele para alívio da dor em prematuros submetidos ao teste do pezinho em unidade neonatal. Universidade de São Paulo; 2015.

3. Castral TC, Warnock F, Leite AM, Haas VJ, Scochi CGS. The effects of skinto-skin contact during acute pain in preterm newborns. Eur J Pain. 2008 May;12(4):464–71.

4. Leite AM, Castral TC, Scochi CGS. Pode a amamentação promover alívio da dor aguda em recém-nascidos? Rev Bras Enferm. 2006;59(4):538–42. 15. Saeidi R, Asnaashari Z, Amirnejad M, Esmaeili H, Robatsangi MG. Use of ―kangaroo care‖ to alleviate the intensity of vaccination pain in newborns. Iran J Pediatr. 2011 Mar;21(1):99–102. 1

5. Linhares MB, Doca F. Dor em neonatos e crianças: avaliação e intervenções não farmacológicas. Temas em Psicol. 2010;18(2):307–25.

6. Saeidi R, Asnaashari Z, Amirnejad M, Esmaeili H, Robatsangi MG. Use of ―kangaroo care‖ to alleviate the intensity of vaccination pain in newborns. Iran J Pediatr. 2011 Mar;21(1):99–102.

7. Santos ACA. A vivência materna no contato pele a pele para alívio da dor em prematuros submetidos ao teste do pezinho em unidade neonatal. Universidade de São Paulo; 2015.